quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Quem são (e porque são!) as vitimas da moda!

Quem ainda não ouviu falar nessa expressão? Vitimas da moda ou fashion victim? Mas ainda acho que muitas vezes empregamos errado esse termo. E em como tudo o mais nessa vida, precisamos ter muito cuidado ao usa-lo. Rotular alguém é sempre algo muito complicado e na contemporaneidade é ainda mais "forte" você apontar uma pessoa como sendo isso ou aquilo. Na velocidade da propagação da informação, os limites entre a difamação e o simples comentário são muito tênues e confusos. Enfim.... Mas o que são as tais vitimas?

Na era do "chique é ser fashion", os deslizes são muitos. Basta terminar uma semana de moda importante que pipocam as tais listas "as dez peças tem que ter da estação" e muitas pessoas acabam indo procurar avidamente o que "bombou" na tal semana de moda para a partir daí incrementar o guarda-roupa. Acontece que muita gente (inclua gente boa aí nesse bolo!) desconhece que na passarela, existem os truques de stylist, a produção do desfile, o conceito do estilista, etc e aí quer copiar os looks na integra, sair na rua como se estivesse na passarela, afinal, tudo "para estar na moda". Creio que tudo vale a pena se o seu estilo for realmente esse. Eu, por exemplo, conheço uma pessoa que sempre usa umas roupas super extravagantes, muitos e muitos colares, pulseiras, brincos enormes, roupas super coloridas, acessórios enormes e exóticos e acaba que para mim e para as pessoas que a conhecem, isso é mega normal. É o estilo dela, não é uma tentativa de copiar ninguém, de reproduzir um desfile, nada! Ela REALMENTE GOSTA de estar assim e acaba que leva isso para tudo na vida, não somente na maneira de vestir, mas na de pensar, de agir. Então, para alguns ela é uma vitima da moda, mas para mim, ela é a representação perfeita da maneira que a gente deve encarar  a moda: se divertindo, adaptando a moda ao seu estilo, criando, sendo leve... Só desse exemplo já deu para sentir a complexidade da coisa não é?



Ainda não? Pense em alguém próximo a você que simplesmente nunca parece estar a vontade com suas roupas. Alguém que veste um kimono estampado de franjas, super boho, mas decora a casa de maneira extremamente clássica, que não conhece e não curte nada que sequer faça referência ao estilo. Mas que pesquisa nos sites de street style e nos blogs de moda a melhor maneira de usar essa peça. Afinal, ela não cabe no seu estilo, no seu jeito de ser. Então, sempre fica aquela coisa "forçada", fora do tom!

Esse termo para mim também lembra uma outra faceta: a das pessoas que praticamente se mutilam em busca de um padrão de beleza que parece imposto pela industria da moda - Falo que parece pois envolve muitas questões que passam desde a regulação publicitária até a questões econômicas. Mas, isso é assunto de outro post... rsss.... Então, essas também são vitimas (e muitas vezes fatais) da moda. A busca pela magreza excessiva, o sem fim de cirurgias plásticas e tratamento estéticos... Isso também faz muitas vítimas da moda.



Me lembra também a questão do trabalho escravo que grandes marcas e a própria industria brasileira concentrada nas lojas do Bom retiro em São Paulo usam nos seus processos produtivos, passa também pelo uso de animais para produção de casacos e acessórios.... De maneiras tão diferentes, mas todas vitimas da moda...

Algo para se refletir além das vitrines e revistas...


Isabella Brito

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!