quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Paixão pelo café!

Olá! Muitos acham que a bebida mais apaixonante que existe é o vinho ou o champanhe por despertarem tantos romances e estarem sempre presentes nas cenas mais românticas. Mas, a verdadeira bebida apaixonante é o café! O Brasil é o segundo maior consumidor do mundo, sendo os Estados Unidos o primeiro.



Acho que cada vez aguço e desenvolvo mais o meu paladar! Lembro de uma vez que fui tomar um café com um amigo (esse, eu acho que tem dependência química! Sério!) e ele quase me mata do coração quando fez um estardalhaço para eu não colocar adoçante no café! Segundo ele, era um verdadeiro crime! Ia alterar de maneira irremediável o sabor! Recuperada do susto, não ousei desafiar tal recomendação e tive que concordar com ele... Café para mim dá uma incrível sensação de bem-estar. Não tem tempo ruim: bebo se estou mais tristinha, para “aquecer” a alma, bebo quando estou feliz para comemorar, bebo para despertar os sentidos e bebo para experimentar novos sabores.

Tem coisa mais bacana do que colocar o papo em dia com amigas, degustando um maravilhoso café? Eu amo esse ritual, Me sinto super bem! Procuro sempre visitar cafés diferentes  para experimentar. Aqui em Salvador, sinto falta de cafés na rua! Mesinhas ao ar livre para sentar e olhar o tempo passar bebendo um café quentinho.


A paixão pelo café tem mais de 300 anos. Existem muitas historias que explicam a sua origem. Claro que eu prefiro as mais criativas e fantasiosas. Tem uma que fala de cabras pastando no alto de uma montanha e comeram os frutos de café e saíram dando cabriolas de tão estimuladas que ficaram. Outra lenda já cita um fanático religioso refugiado nas montanhas da Arabia e que ao provar o fruto desconhecido, achou muito amargo e resolveu tostar para ver se melhorava. Como ficaram quebradiços, ele resolveu amolecer misturando com água. Bem, não sabemos a quem agradecer por essa maravilhosa descoberta, mas com certeza as lendas são quase reais e explicam muito!

 O café é super democrático: vendido em carrinhos e servido em copos plásticos nas ruas em lugares simples, ou preparado e servido de maneira extremamente sofisticada, transformando-se em objeto de desejo.



Já ficou com vontade? Pede um pretinho ou um pingado!

Isabella Brito

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário!